A força de continuar.

Faltando dois dias para completar dois anos sem cigarros, resolvi fazer uma reflexão sobre parar de fumar, e sobre a vida consequentemente.

Em abril de 2016 compartilhei com vocês a dificuldade que estava sendo o processo de largar o vício da nicotina e como eu lidava com tudo isso. Comentei inclusive sobre o que eu sempre ouvia (ainda ouço), que com o tempo a gente se acostuma e não sente mais falta.

Com propriedade da minha experiência em quase dois anos sem cigarro, digo: é mentira. Ao menos para mim. Continuo cada dia desejando fumar. Ainda sonho que estou fumando e acordo com cheiro de cigarro na mente. Mato a minha “vontade” me cercando de pessoas fumantes, ser fumante passiva nunca foi tão bom.

smoke

Admiro a minha força de vontade, até porque, não é fácil estar cercada de tentações quando tudo que você quer é fumar. Isso tem me ajudado a ter forças para continuar, hoje só sentir o cheiro já alivia a ânsia da vontade.

Confesso que não lembro mais qual é a sensação de fumar. Lembro apenas do prazer e do conforto que sentia quando fumava. Acredito que passaria mal se fumasse hoje, mas ainda desejo fumar, com toda a força que tenho.

Espero manter toda essa força de vontade, conseguir manter o corpo livre de nicotina, se possível para o resto da vida. Mas preciso discordar das pessoas que dizem que a vontade diminui. A vontade continua ali, intacta, o que muda é a forma de lidar com a vontade. Assim como lidamos com cada coisinha que acontece com a gente diariamente.

Para vocês queridos que estão na luta para parar, boa sorte e força. Para os que ainda querem continuar fumando, boa sorte também. A luta é de todos, seja para manter ou largar o vício. O importante é fazer aquilo que nos faz bem.

Talvez esse texto seja desnecessário para algumas pessoas que não entendem como funciona, mas para mim e para todos os que lutam contra qualquer tipo de vicio, todo depoimento é válido e de ajuda. Deixa o teu nos comentários também! Assim vamos todos nos ajudando. 🙂

Uma semana lindíssima e cheia de luz! Beijocas.

urso

Anúncios

Largando vícios.

HOJE É O DIA MUNDIAL DA SAÚDEEEE!!

Tá todo mundo cuidando bem lindo da sua própria saúde né?

Hoje vou contar um segredinho meu e a gente vai falar sobre largar vícios e o quanto isso é difícil, ok? Pega o café então!

Poucas pessoas sabem, mas durante uns bons anos da minha vidinha que não é muito longa, eu me dediquei ao cigarro. Sentia cada pedacinho do meu fôlego indo embora junto com cada tragada, mas mesmo assim não abandonava meu amigo de todas as horas.

Foram 8 anos de amizade pura e sincera, companheirismo, alegrias e muitas tristezas. Porque quando estava triste, ele era o único amigo que eu queria.

friends

Mas chegou o momento de dar o basta. Tentei a primeira vez em 2013, logo quando voltei de SP. Tinha entrado em uma pequena “reabilitação” em casa, então estava em reeducação alimentar, diminuindo o álcool e em consequência, parando o cigarro. (Pra quem não sabe, eu morei 9 meses em SP e vivia uma festa louca todos os dias e voltei pra casa uns 20kg a mais e muito choro.) Meu afastamento do queridinho durou só 5 meses em 2013, quando senti que podia fumar só um que “não ia dar nada”, deu tudo e voltei a estaca zero.

Até que ano passado eu decidi que ele não era mais um amigo tão legal e realmente tava me deixando sem ar, mas num sentido ruim. Resolvi parar de vez.

Dia 22/06 foi o dia escolhido. Vou contar que a primeira semana foi enlouquecedora, e eu me sentia uma criança sem doce. Chorava, gritava, esperneava, fiquei extremamente irritada. Era a falta da nicotina.

Duas semanas depois, comecei a ter umas crises de ansiedade, palpitações, respirava mal e passava muito muito mal, e continuava chorando. Pesquisei e realmente, era abstinência, pode durar 3 meses. TRÊS MESES.

Passei os três meses da abstinência pesada, entrei na fase, estou bem sou ex fumante. Até sentir o cheiro de cigarro e ficar desesperada. Completei 9 meses sem fumar, o maior tempo que já consegui. Espero ficar muito muito mais.

Me contaram esses dias, “ahh depois de um tempo tu nem vai mais sentir falta”, e eu fico pensando, será? Eu sinto a falta todo dia. Acho que só se acostuma a não matar a vontade.

Largar o vício é difícil, e é preciso muita força de vontade. Não importa o quanto os outros se esforcem em tentar te mostrar, você tem que sentir que é a hora de largar. Pode ser qualquer coisa. Cigarro, álcool, drogas mais pesadas, comida (porque essa vicia muito também!), pessoas, séries, livros.. aahhaha.

O importante pessoal é sempre cuidar da saúde, física, mental, psicológica e principalmente emocional.

Agora quero saber, vocês tem vícios? Já largaram? Estão largando?

Me contem!!

Mil beijos!

boys