Desculpe o transtorno, mas tenho um transtorno.

Eu sei, parece difícil de acreditar né? Como pode, ela tem tanta energia e parece sempre tão feliz, não pode ter um transtorno. Nem tudo é o que parece, e nem todo transtorno é só tristeza.

Eu basicamente fui Bipolar a vida toda, até porque a bipolaridade é um distúrbio de humor que praticamente nasce contigo e vai se moldando durante a vida. Mas só fui diagnosticada à um ano. Desde então eu venho me aceitando dentro desse novo “nome” (nem tanto porquê acho muito chato viver sendo uma “doença”, tomando medicação e tentando controlar uma coisa difícil de controlar: meu humor).

É engraçado falar isso, porque parece ser tão fácil, mas juro, é praticamente impossível. A minha vida se resume as vezes em:

  • Tá tudo maravilhoso e dando certo – to depressiva e chorando 24 horas
  • Tá tudo horrível e dando errado – tô rindo e querendo fazer festa, pulando o tempo todo

bipolar

Ou seja, eu não tenho um gatilho que explique a felicidade ou a depressão, lógico que as vezes acontece, o que acentua ambos, e eu fico extremamente triste ou extremamente feliz. E é ai que mora o problema da doença, eu meio que perco o controle. Meio não. Eu realmente perco.

O fato de não conseguir controlar acontece em segundos, e quando eu vejo já to fazendo algo que me prejudica. Dirijo de maneira imprudente, bebo demais, me desqualifico, me isolo, brigo com pessoas que gosto, tenho pensamentos que não teria, entre outras coisas. Mas o que realmente pesa, é não conseguir explicar pras pessoas que eu não controlo isso.

Eu sou uma pessoa de difícil convivência naturalmente, eu reconheço isso. Com a bipolaridade fica pior. Tá certo que medicada tudo fica mais fácil, mas mesmo assim é complicado. E é complicado pra todo mundo que tá na mesma situação que eu.

Não me escondo atrás de uma doença, porque ela não define quem eu sou, mas ela faz parte de mim, infelizmente. Ela tá aqui, desregulando uma coisa e controlando meu humor. As vezes me afastando de pessoas muito especiais pra mim, porque ela auxilia o meu temperamento difícil a ficar um pouco pior. Mas a gente joga limpo uma com a outra, e ela sabe que ela precisa ficar de boa (porque ela não tem cura, ela só pode ser estabilizada), e nós vivemos de boa e muito bem.

E apesar de ser difícil pra caramba em alguns momentos, da pra levar uma vida tranquila e “normal” hahaha. Tudo vai da aceitação que se tem. Eu tenho uma psicóloga maravilhosa, um psiquiatra ótimo, e uma família mais que maravilhosa, que me apoia e amigos que sempre me auxiliam, e é o que importa.

setembro-amarelo

Como vocês estão muito lindos no facebook com o Setembro Amarelo, resolvi abrir meu coração, e meu cérebro com vocês, compartilhar sobre a minha “amiga” Transtorno Afetivo Bipolar, e sobre como ela é a segunda maior causa de suicídio no mundo. E também pra vocês prestarem bastante atenção em vocês e nos amigos de vocês que estiverem passando por um momento difícil, se ausentando, ou tendo bruscas mudanças de humor ou reclamando de falta de sono, pra eles sempre buscarem ajuda psicológica e psiquiátrica. E também, se forem casos muito extremos, liguem no CVV: 141 , eles estão sempre a disposição para ajudar quem precisa. ❤

Um beeeeeeeijo enorme, até semana que vem!!

amy-bjs

Anúncios