É muito mais sedutor.

Meu facebook ultimamente é uma enxurrada de imagens com textos falando sobre se apegar sim, sobre não ser indiferente, sobre dizer que se importa, para não ficar fazendo joguinhos emocionais.

frieza

Confesso que fiquei curiosa e contente com todo esse protesto contra os joguinhos (e as pessoas que fazem joguinhos).

Eu faço parte das pessoinhas intensas (que dúvida, rs), que não gosta de perder muito tempo com quem gosta de ficar fazendo joguinhos. Eu parto do seguinte princípio: Eu quero. Você quer. Saímos. Sem joguinhos, sem enrolação, sem mimimi. Direto ao ponto. É aquele ditado: “Se quer, quer. Se não quer, diz.” 

Acho que a gente perde tempo demais da vida fazendo joguinho. Podia estar aproveitando com a pessoa, ao invés de ficar “fingindo desinteresse” ou “fingindo que estou super ocupada para demorar pra responder”. Qual a necessidade? Se ambos já estão interessados é só aproveitar. Ninguém tá pedindo o outro em casamento (ainda). É só um cinema, uma janta, uma cerveja.

Eu queria muito saber quem é que foi a pessoa que inventou que fingir desinteresse quer dizer que tu tá interessado na pessoa. QUAL É A LÓGICA DISSO?  A única coisa que desinteresse quer dizer é: não estou interessado em você. PONTO. 

Já falei aqui e vou falar de novo: Gente enrolada atrasa a vida. Gente que faz joguinho, atrasa mais ainda.  

Vamos combinar uma coisa pessoal, de verdade. A vida fica bem mais fácil quando a gente não faz joguinho. Quando a gente joga limpo com a outra pessoa, e principalmente quando a outra pessoa também joga limpo com a gente. Não existe nada melhor do que reciprocidade quando a gente gosta de alguém, e os joguinhos dão uma impedida nisso. Não faz uma coisa que pode impedir uma coisa tão gostosa quanto estar com alguém legal.

Se joga no novo. Manda mensagem se quiser mandar, convida pra sair, diz que gostou de ter saído, diz que ta com saudade, que quer ver de novo, que quer ver todo dia. Demonstra que gosta, fala que gosta!! Não tem nada melhor do que dizer que gosta! Frieza e quietude não quer dizer NADA. Beleza? Vamos deixar os jogos pras Olimpíadas. 😉

Um beijo enorme e até o próximo café!!

bruno mars

 

 

 

Anúncios

Criando laços.

Meus queridos, que saudade! Minhas sinceras desculpas pela ausência, prometo compensá-la com bastante café! Vamos pegando as xícaras…

Eu tenho que confessar uma coisa, nunca fui uma pessoa de muitos laços e vínculos, apesar de eu adorar tudo o que isso inclui. Ultimamente tenho notado uma melhora nesse meu lado, e acho que não fui somente eu quem mudou. Vou explicar.

A minha geração, os X ou Y que eu nunca sei exatamente qual é, é a geração do desapego. Aquela gente desligada, que só faz folia, quer casinhos de uma noite e amizades intensas porém rápidas. Com exceções, lógico. Mas tem algumas coisas mudando no nosso reino. Estamos todos amadurecendo ou desenvolvendo a necessidade de criar laços.

Criar laços é uma coisa fantástica, é aquele vínculo maravilhoso que todo mundo morre de medo, porque é entrega, é dedicação, é se importar, é falar que gosta, que não gosta, ligar e mandar mensagem, ser grudinho. COM QUALQUER PESSOA.

mãos dadas

Eu sempre fugi dos laços. Com algumas exceções, de pessoas que sempre foram laços na minha vida, as outras que quiseram ser eu não deixava. Porque eu tinha medo. Até uns dois anos atrás quando criei coragem pra abrir espaço na minha vida e pedir espaço pro meu irmão mais velho (pra quem não sabe, eu tenho 4 irmãos por parte de pai) pra fazer parte da vida dele. E a minha surpresa foi um sim enorme e um novo laço. E não só com ele, mas uma nova oportunidade com toda a família do meu pai e os amigos do meu irmão, que são meus amigos agora também.

As oportunidades que criamos nos possibilitam tudo ao nosso redor, basta só a gente saber direcionar o que queremos. Os novos laços, os laços antigos, nos auxiliam na nossa vida, fazem tudo parecer mais leve, dividem a vida e os sorrisos, as experiências e principalmente, trazem mais alegrias pra nossa vida.

Lógico que criar laços não é tão fácil quanto parece. Sempre precisa de outra, ou outras pessoas. Precisa de reciprocidade também. Precisa de entrega, confiança e dedicação. Mas vale tanto a pena, que o esforço é mínimo diante de tanta coisa boa que vem em retorno.

Vamos nos abrir e nos deixar criar laços! Certo?

Nos vemos logo logo, pra mais café! Um beijo enorme!

morticia2