Permitindo-se

Hoje é sexta pós feriado então o café vai ser pra curar a ressaca! Peguem suas xícaras e vamos papear.

Alguns meses atrás eu fiz uma meia promessa pra mim, disse que ia procurar alguma coisa que eu realmente gostasse para fazer, porque eu ainda não achei um grupo ou algo em que eu REALMENTE me encaixe.

Esse assunto rende várias e várias idas à minha querida psicologa que sempre me dá algumas ideias, mas acontece que eu nunca coloquei elas realmente em prática. Até as últimas semanas.

SIM. Nas últimas semanas eu comecei a me auto-desafiar e fazer algo que eu não fazia: me permitir. (E quero dividir isso com vocês, pra que vocês também se permitam, se vocês não estiverem fazendo isso).

Primeiro pensei em algo que eu gostava e que queria fazer de verdade, BALLET. Achei uma escola, e marquei a aula experimental e fui. Não precisamos dizer que foi lindo né? Fiz todos os pliês, saltos, etc. Só esqueci de aprender a cair e voltei pra casa toda roxa. Foi ótimo, mas ainda não era a vibe. Pode ser que daqui a pouco seja, mas ainda não é.

agnes

Continuei pensando nas coisas que eu gosto de fazer, e ficou meio difícil e desisti um tempo. Até que uma conhecida fez um post sobre sororidade entre mulheres, conversamos mais por inbox e ‘montamos’ um grupo para de mulheres, que a gente discute sobre diversos assuntos, troca experiências e tem oportunidades de fazer mais uma pela outra. Um passo enorme fora da zona de conforto, dentro da vibe do que eu gosto, mas ainda dá pra fazer mais né?

Engatei em várias coisinhas depois que criei coragem de botar a cara pra fora pela primeira vez, voltei a fazer coisas que tinha deixado de fazer por simples preguiça.

Foi quando recebi o convite  de um colega da gincana para uma meditação em grupo, pensei, SERÁ? Será que isso é legal? Fiquei bem receosa, porque eu já medito em casa e achei que ia lá só pagar migo. Criei coragem e  fui. Paguei mico ÓBVIO, porque teve yoga, e eu não sei fazer aquelas coisas, mas acho que todo mundo meio que pagou. E foi tão legal, e teve uma energia tão boa, que deu vontade de ir em todas as edições (que já descobri que tem todos os meses).

Fiquei tão feliz de ter quebrado uma barreira de permissão ou de ter saído da minha zona de conforto, só pra poder encontrar uma coisinha que me fez feliz em um momento diferente de tudo.

zonadeconforto

Ainda tenho muito o que buscar, muita zona de conforto pra sair, mas saber que existem “lugares mágicos” fora dessa zona, e que é onde vamos encontrar o que faz a gente feliz, dá um gás monstro na vida. A minha busca ainda vai longe, e vocês provavelmente vão me acompanhar, com bastante café eu espero.

Quero saber de vocês, tão saindo da zona de conforto?

Beeeijo!

avril

Anúncios

Autor: Lu Bilhalva

Sou a Luiza e, assim como o café, gosto quando as coisas são fortes, intensas e quentes. Gremista não fanática, gaúcha, estudante de Psicologia, feminista e virginiana, além de adorar um papo, não nego um café e um chimarrão. Sou viciada em seriados, livros e filmes. Senti a necessidade de devanear nesse blog pra dividir um pouquinho da minha bagunça interna com o mundo. Dentro de um mesmo corpo há espaço para várias versões de mim mesma.

3 comentários em “Permitindo-se”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s