Recebendo a irmã mais nova.

Olá queridos e queridas!

Hoje o café vai ser um pouco divertido e melosinho também, vou compartilhar um pedacinho da minha vida com vocês, espero que gostem, porque é divertida!

Aproveito também para parabenizar a minha irmãzinha, mas pega o café e vem descobrir como que EU recebi ela na minha vida.

SOFIA CHEGOU, E AGORA?

Resuminho pra quem não me conhece muito bem, eu tenho uma irmã 10 anos mais nova.

Preciso dizer também que como toda filha única, eu era absurdamente mimada (ok, ainda sou), mas na época era bem mais, só que eu queria desesperadamente uma irmã(o), porque já tava cansada de ser só eu, era chato no final das contas.

Aí um dia do nada minha mãe disse: “Lu, teu irmãozinho tá vindo, a mãe ta grávida.” E EU FIQUEI RADIANTE, PARECIA QUE TINHA GANHO NA LOTERIA DAS CRIANÇAS. Acompanhei de pertinho a gravidez da mãe (eu tinha 9 anos na época) e torcia pra Sofia se mexer na barriga pra mim e amava aqueles momentinhos enquanto na barriga.

Só que uma hora os 9 meses passam, e o bebê nasce. E nasceu, dia 17 de Janeiro de 2002, uma bolinha gostosa virada em bochechas e bumbum, que me apaixonei automaticamente, ÓBVIO, parecia uma boneca e era tudo o que eu queria. ATÉ que a fofinha chegou em casa e adivinha? “ROUBOU” todo o meu lugar e eu achei aquilo um ABSURDO, onde é que já se viu darem mais atenção pra ela do que pra mim? Eu já estava aqui a mais tempo precisava de mais. E aí coitada da minha mãe e padrasto na época, porque eu virei o bicho de ciumenta e de brava, achava que o mundo ia acabar porque ninguém me amava mais. Chorava, me jogava no chão, fazia birra e depois ia bajular o bebê, porque ela era muito fofa eu não aguentava, hahaha.

Levei um tempo pra me acostumar a não ser mais filha única, demorei pra entender que a atenção tinha que ser dividida, a gente acredita que por ser irmão o amor vem instantâneo e não tem disputa, mas é bem o contrário, rs.

Hoje, 14 anos depois, a disputa e o amor parcelado ainda existem, mas aprendemos a nos amar mais do que a disputa por atenção. Hoje a Sofia é um dos maiores presentes que já ganhei em vida, ela alegra nossos dias e faz com que a vida tenha mais sentido, quando ela não está em casa, é como se algo estivesse faltando e ficar sem falar com ela um diazinho é uma tristeza. Tá certo que nossos gênios não se batem, brigamos bastante e inclusive quando ela tá de mal comigo, ela me bloqueia no FB (como estou bloqueada desde o natal, hahahha), mas são ossos do ofício, aprendemos a conviver.

bolo unicorno

Aproveito esse momento para mandar um FELIZ ANIVERSÁRIO, cheio de amor, carinho, beijos, abraços, unicórnios e arco-íris, pro “budinha” que roubou minha atenção e que não vivo mais sem. Parabéns Sofi, te amo mais do que um dia pude pensar ser possível. (Espero que tenha gostado  ❤ )

Por hoje é só pessoal, espero que tenham gostado E  se vocês tem irmãos mais novos ou não, me conta como que foi receber eles! Vou adorar saber, rs.

BEEEIJOS!

megan fox

Anúncios

Autor: Lu Bilhalva

Sou a Luiza e, assim como o café, gosto quando as coisas são fortes, intensas e quentes. Gremista não fanática, gaúcha, estudante de Psicologia, feminista e virginiana, além de adorar um papo, não nego um café e um chimarrão. Sou viciada em seriados, livros e filmes. Senti a necessidade de devanear nesse blog pra dividir um pouquinho da minha bagunça interna com o mundo. Dentro de um mesmo corpo há espaço para várias versões de mim mesma.

Um comentário em “Recebendo a irmã mais nova.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s